terça-feira, 19 de setembro de 2017

POLÍCIA CIVIL INVESTIGA PARTICIPAÇÃO DE QUADRILHA NA MORTE DO PM EM PARAUAPEBAS


A polícia investiga se integrantes de uma quadrilha que roubou uma loja na Zona Rural de Marabá, sudeste do estado, tem participação na morte do PM Raimundo Nonato Oliveira de Souza que aconteceu na última segunda-feira (12) no município de Parauapebas.
“Tem dois presos que são de Parauapebas. A gente suspeita que eles tenham envolvimento na morte do cabo conhecido como ‘Santarém’, inclusive na residência de um deles localizado na folha 16 encontramos um carregador de pistola ponto 40 com munição intacta, sendo que ao fazer o rastreamento identificamos que a arma é da polícia”, disse o tenente Alex Valino.
A suspeita da polícia surgiu depois que os policias encontraram na casa de um dos integrantes da quadrilha um carregador de pistola ponto 40 que pertence ao 23º Batalhão de Polícia Militar de Parauapebas. Os integrantes dessa quadrilha foram perseguidos por policiais depois que eles realizaram um assalto em um a loja na vila Sororó que fica localizada entre os municípios de Marabá e Parauapebas.
Os carros usados na fuga foram abandonas as margens da BR 155, um dos veículos pegou fogo. Segundo a Polícia Militar o carro foi atingido por um foco de queimada, o bando fugiu após realizar um assalto, durante a perseguição ouve troca de tiros e dois assaltantes morreram. Os outros dois integrantes da quadrilha conseguiram fugir pela mata.
A quadrilha era formada por seis pessoas, entre elas estão uma mulher que foi presa em flagrante por roubo qualificado e uma adolescente que foi transferida para o Centro de Internação em Belém. Com a parte da quadrilha que foi presa a polícia encontrou armas, celulares e um notebook.
Os dois suspeitos continuam foragidos.
Fonte: G1 Pará

EDITAL DA SEDUC TEM 2.112 VAGAS. VEJA QUAL SERÁ A SUA!

Foi publicado no Diário Oficial da Estado (DOE) da última sexta-feira (15) o contrato para a realização do concurso da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).
Assinado no dia 12 de setembro, o documento tem vigência até o dia 11 de setembro de 2018.
A empresa contratada é a Consulplan Consultoria e Planejamento em Administração Pública LTDA, sediada em Minas Gerais.
De acordo com a publicação no DOE, a empresa vai prestar serviço de planejamento, organização, realização, processamento e resultado final para homologação de concurso para seleção de candidatos para provimento de vagas em cargos de nível superior da Seduc.
Ao todo, serão ofertadas 2.112 vagas. Para concorrer será necessário possuir curso superior com formação específica.
A distribuição das vagas pelas respectivas áreas será feita da seguinte forma: artes (136), biologia (24), educação física (23), filosofia(103), física (39), geografia (101), história (98), inglês (193), matemática (731),língua portuguesa (540), química (35) e sociologia (89).
De acordo com o edital de licitação, a taxa de inscrição deverá ser de R$ 140.
A previsão é que o edital seja divulgado em breve. 
Fonte: Dol

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

DONO DE EMBARCAÇÃO QUE NAUFRAGOU NO RIO XINGU ADMITE FRAUDES

Alcimar Almeida da Silva, proprietário do barco Capitão Ribeiro, que afundou no Rio Xingu, admitiu que fraudou algumas informações sobre a embarcação para poder transitar livremente no local e também aumentar seus lucros. No total, o acidente que ocorreu na madrugada da última quarta-feira (23) e deixou 23 mortos, enquanto 30 pessoas sobreviveram.
Alcimar admitiu que não possuía a lista completa das identificações dos passageiros, o que dificultou o reconhecimento de alguns corpos  bem como as buscas por parte de Bombeiros e da Capitania dos Portos, já que não se sabia ao certo quantas e quais pessoas buscar.
Em seu primeiro depoimento, ele chegou a afirmar que o barco possuía apenas duas pessoas. Após o içamento do barco naufragado do fundo do Rio Xingu, na última sexta-feira (25), até um carro foi encontrado no interior da embarcação.
Outra grave fraude cometida pelo dono da embarcação foi informar que o barco faria o trajeto Santarém - Prainha (cerca de 170 km), na região do Baixo Amazonas. O trajeto correto, na verdade, era até Vitória do Xingu (380 km), o que representa quase 3x mais a distância que podia ser percorrida.
Por fim, o Capitão Ribeiro até possuía autorização da Marinha e estava com a documentação em dia, no entanto não possuía autorização da Agência Estadual de Regulação e Controle de Serviços Públicos (Arcon) para transitar no referido trecho. Alcimar já havia sido notificado sobre isto e deveria regularizar sua situação com o órgão, mas nunca o fez.
Diante dos fatos, Alcimar deve responder na Justiça pelo caso. Uma possibilidade de indiciamento é pelo artigo 261 do Código Penal, que prevê pena de 4 a 12 anos de prisão para quem "expor a perigo embarcação ou aeronave, própria ou alheia" e o fato resultar em "naufrágio, submersão ou encalhe".
(Com informações do Estado de S. Paulo)

Senador José Porfírio: Corpo é encontrado boiando próximo à Pedral


O homem estava de bermuda jeans azul, usa barba e bigode médio, sem camisa, possivelmente 24h após afogamento o corpo boiou na frente do município de Senador José Porfírio no Baixo Xingu, região sudoeste do Pará, no local conhecido como Pedral do Jucelino, por volta das 9h deste domingo (27).
O corpo foi retirado do rio pela população, e levado para uma rua próxima, as polícias Civil e Militar acompanham o caso, segundo informações da PM, a vítima é de pré-nome Gabriel, morador de Uruará, estava trabalhando em uma serraria da Região e bebia bastante, a ultima vez que foi visto teria sido na quinta-feira.
Mais detalhes a qualquer momento.
Por: Felype Adms

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

GINÁSIO DE PORTO DE MOZ REÚNE CORPOS E CIDADE MUDA A ROTINA


Foto: Magda Vrosk/Agência Pará
Na porta do ginásio de Porto de Moz (PA), uma multidão se aglomera: querem saber se o último corpo que chegou é o familiar que tanto procuram. No local, foi montado um centro de perícia, onde os corpos são identificados. O cheiro forte se espalha para fora dos muros, e para entrar lá é preciso usar duas máscaras."Nunca vimos algo parecido com essa tragédia. Estamos nos virando aqui", diz Richele Campos, 35, secretária municipal de Saúde, se referindo ao naufrágio que matou 21 pessoas na última terça (22).Além do ginásio que virou centro de perícia, um centro de acolhimento de jovens é usado para prestar auxílio e apoio psicológico às famílias, e a Câmara Municipal virou o quartel-general das operações, onde Estado e município articulam os próximos passos.Nas ruas, a maior parte dos comércios está fechada. A tragédia levou o foco para a pacata cidade, onde só dá para chegar de barco, apenas uma operadora de celular funciona, praticamente não há sinal de 3G e nenhum motociclista usa capacete. A rádio local até então só tocava música e hoje parece uma rádio de notícias.A população se espanta com o fluxo de militares e outros funcionários públicos vindos da capital, além de jornalistas. Não acostumados a tanta gente de fora, os porto-mozenses se prontificam a ajudar os forasteiros, servindo comida e dando caronas.Vítimas recebem atendimento em meio ao sofrimento em perder entes queridos no ginásio de Porto de Moz. A tragédiaO barco que afundou em Porto de Moz com pelo menos 48 pessoas a bordo na noite da terça-feira (22) foi trazido à superfície durante uma operação especial realizada nesta quinta-feira (24). As informações são da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup-PA).Até o momento foram encontrados 21 corpos durante as operações de resgate. 23 pessoas sobreviveram e 6 ainda continuam desaparecidas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, os corpos foram achados flutuando, a uma distância de cerca de quatro quilômetros do local onde está embarcação.(Com informações da Folha de S. Paulo)

Empresário sobrevive a naufrágio e volta para ajudar em resgate no Pará

"Que diabo de doidice é essa?", gritou a mulher de Ruberley Torres da Fonseca, 40, ao ver o marido chegar em casa quase sem fôlego. Eram 6h da manhã da última quarta-feira (23) em Porto de Moz, cidade de 39 mil habitantes no interior do Pará. Àquela hora, por isso o susto, Ruberley já deveria estar em Altamira, para onde saíra de barco no começo da noite do dia anterior.
A embarcação, porém, naufragou no meio do caminho e pelo menos 21 pessoas morreram. Havia cinco desaparecidos até o começo da noite desta quinta-feira (24).
Tia, como Ruberley é conhecido em toda a cidade, foi o primeiro sobrevivente a chegar a Porto de Moz e avisar os órgãos públicos da tragédia que acabara de ocorrer nas águas escuras do rio Xingu.
Fonte: folha.uol.com.br
THIAGO AMÂNCIO
ADRIANO VIZONIENVIADOS ESPECIAIS A PORTO DE MOZ (PA)

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

EM URUARÁ MULHER COMETE SUICÍDIO POR ENFORCAMENTO



Uruará: Mãe comete suicídio na frente do filho de 2 anos de idade no Bairro ProgressoUma mulher de 21 anos de idade tirou a própria vida na noite deste domingo, 20 de agosto, na cidade de Uruará. Neiane da Silva Maia, que completaria 22 anos no próximo dia 8 de setembro, usou uma corda do varal para se enforcar. Neiane vivia numa união estável com o jovem de prenome Robson e deixou um filho de 2 anos de idade. Segundo contou Robson, o casal teve uma discussão no início da noite de domingo e em seguida o mesmo saiu de casa indo para a casa de uma terceira pessoa. Quando retornou pela manhã desta segunda-feira, 21, encontrou a esposa morta com uma corda de nylon no pescoço num dos cômodos da residência onde o casal morava. Ainda segundo o companheiro da vítima, quando a encontrou Neiane estava morta sentada no chão com o filho sentado ao lado que provavelmente presenciou a cena de suicídio da mãe.
Neiane
O casal morava em Uruará há 3 anos e vivia em uma união estável há 9 anos. Atualmente viviam numa residência do Bairro Progresso, zona leste da cidade. A mulher não deixou carta nem mensagem explicando por que tomou a decisão.Últimos acontecimentos antes do suicídio –Segundo relatou Robson, uma discussão ocorrida entre ele e a companheira teria sido motivada por uma saída repentina de Robson deixando a esposa na casa de um amigo, onde ocorria uma festa de aniversário, e ir para casa para poder usar o banheiro por volta das 18 horas de domingo, 20. A companheira não gostou de ter sido esquecida na festa, já que Robson havia dormido e não retornado para buscá-la, e quando a mulher chegou em casa por volta das 19 h e 30 min iniciou-se uma discussão (briga de casal, bate-boca). Robson saiu de casa para evitar a continuidade da briga e ao retornar na manhã desta segunda-feira, 21, encontrou a esposa morta.A família de Neiane mora em Tucuruí. O corpo da mesma será trasladado para o referido município onde será sepultado.
Por Joabe Reis

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

MOVIMENTOS SOCIAIS DE BRASIL NOVO BLOQUEIAM A TRANSAMAZÔNICA, MAS SOFREM AMEAÇAS DE CONDUTORES

Manifestante foram ameaçados por pessoas que tentavam passar no local

A Rodovia Transamazônica - BR 230, chegou a ser bloqueada no início da manhã desta segunda-feira 14, às 06:00 horas, como haviam programado os organizadores da manifestação.

O objetivo do bloqueio, segundo informações dos próprios manifestantes, seria para reivindicar do DNIT, que cumprisse um acordo firmado em reunião com as lideranças de Brasil Novo, onde o órgão havia garantido, que as obras na rodovia, seriam retomadas na primeira semana de agosto, o que não aconteceu.

O bloqueio foi na ponte do igarapé Jarucu, mas houve confusão entre manifestantes e condutores da via, onde chegaram a ameaçar os manifestantes, devido a paralisação do trânsito no local.

Sem apoio, os organizadores da manifestação, tiveram que desbloquear a rodovia por volta das 07:30 horas.


Por Gleyson Araujo | TV Cidade SBT

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

MANIFESTAÇÃO DE PROFESSORES EM PLACAS CONTINUA


Os grevistas negam que tenham ateado fogo nos pneus que estavam na frente da prefeitura e alguns nos informaram que até tentaram evitar danos maiores retirando parte dos pneus - “estávamos reunidos quando de repente vimos a fumaça e o fogo nos pneus e corremos para tentar apagar e retiramos o que deu se tivéssemos tirado teria feito um estrago” - disse um professor à nossa redação via whats app.
Uma matéria chegou a ser veiculada afirmando que os grevistas teriam ateado fogo nos pneus, mas os professores dizem não saber quem causou o incêndio e acusam o advogado da prefeitura de ter insultado a categoria após o incêndio. Em nota enviada ao Blog Brasil Novo Notícias por meio do assessor de comunicação Jeferson Souza, informa que a ação do advogado foi de notificar a quebra de acordo entre governo sindicato devido o incidente.
As tentativas de negociação já duram mais de trinta dias. Duas reuniões foram feitas nesta segunda-feira onde o governo concordou em retomar carga horária de oito, como prevê o Projeto de Lei 246/2017 para seis horas como antes, mas somente para p pessoal de apoio. Outra reunião estava marcada para as 15:00 horas de hoje, mas a reunião não aconteceu e a greve continua e os alunos continuam sem aula
Vejam a matéria completa no vídeo:
Fonte: BN Noticias

AGRICULTOR É ASSASSINADO COM TIRO DE ESPINGARDA NO ASSURINI


FOTO: Grupo Patrulhão de Notícias
A vítima foi identificado como Denis Botelho de aproximadamente 32 anos e o assassinato aconteceu na madrugada desta segunda-feira (07) em uma comunidade da Gleba Assurini na Zona Rural de Altamira no sudoeste do Pará.De acordo com as informações repassadas à nossa redação, vítima e acusado trabalhavam juntos e bebiam juntos quando tiveram um desentendimento e acabaram discutindo por motivos desconhecidos e com medo a vítima teria pedido dormida a um vizinho que lhe cedeu dormida, mas armou a rede do lado de fora e enquanto dormia o acusado chegou e disparou um tiro de espingarda a queima roupa que atingiu o pescoço da vítima que morreu na hora.O corpo foi removido por familiares e amigos sob a escolta de dois e foi deixado no IML de Altamira onde passou por necrópsia. O acusado não foi localizado e a Polícia Civil está investigar o caso na tentativa de localizar o acusado.O corpo está sendo velado na Capela Mortuária Vovó Ana e deverá se sepultado no nas primeiras horas desta quarta-feira.
Fonte: BN Notícias