quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Justiça Federal afasta o prefeito de Vitória do Xingu

Em resposta a pedido do Ministério Público Federal (MPE), a juíza federal de Altamira, Lucyana Said Daibes Pereira, ordenou afastamento por 90 dias do prefeito de Vitória do Xingu, Liberalino Neto e de diversos secretários municipais. Ele é acusado pela Controladoria Geral da União e pelo MPF de chefiar uma quadrilha que desviou mais de R$ 17 milhões de dinheiro da União destinado aos cofres do município. 
As acusações contra o prefeito de Vitória são tão graves que ele ficou preso preventivamente nos últimos 60 dias. Foi libertado anteontem pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), que concedeu habeas-corpus em seu favor mas impediu seu retorno ao cargo de prefeito. A libertação provocou revolta no município, vizinho de Altamira e uma das sedes da usina hidrelétrica de Belo Monte. Moradores chegaram a bloquear a rodovia Transamazônica anteontem em protesto.
O bloqueio foi suspenso depois que o MPF informou aos moradores que já estava pronta ação judicial para ampliar as medidas do STJ e, além de afastar o prefeito, afastar secretários envolvidos nas fraudes. Ontem mesmo, em decisão rápida, como o caso requer, a Justiça Federal confirmou a medida. 
Além de Liberalino, foram afastados Roseli Aparecida de Almeida Braga, primeira-dama e secretária de saúde, Aldir Nazário de Carvalho, secretário de obras, Helton Wagner Lisardo, secretário de finanças e Carlos Alberto Gama de Almeida, Benedito da Silva e Etieli Rodrigues Moraes, da Comissão de Licitações do Município.
Eles também tiveram a indisponibilidade de bens decretada, no valor total de R$ 17 milhões. A quadrilha agia fraudando licitações, criando empresas de fachada, algumas vezes explorando laranjas e outras vezes em nome de pessoas da própria quadrilha. Quem assume a prefeitura agora é o vice, Erivaldo Oliveira do Amaral. 
FONTE: O LIBERAL.

Nenhum comentário:

Postar um comentário