quarta-feira, 9 de novembro de 2011

NOVAS INFORMAÇÕES SOBRE O ASSALTO AO BANCO DO BRASIL DE MEDICILÂNDIA

Por volta de 13h30 de segunda-feira, a agência do Banco do Brasil de Medicilândia estava lotada de clientes que foram surpreendidos por cinco homens fortemente armados. Eles entraram na agência e mantiveram vários reféns por pelo menos uma hora.

Após conseguirem o dinheiro, valor não divulgado pela gerência do banco, os ladrões colocaram 15 pessoas em cima de uma caminhonete e empreenderam fuga rumo à cidade de Uruará, na Transamazônica.

Pessoas do comércio local e que passavam pela cidade, presenciaram de perto e bastante assustadas a ação dos bandidos. Um senhor que não quis ter sua identidade divulgada, e que estava dentro do banco no momento do assalto, contou que os ladrões pareciam nervosos, faziam muitas ameaças e pediam para que todos ficassem deitados e não reagissem.

Entre os reféns estava o gerente do banco. Vidros da agência foram quebrados. Do lado de fora da agência os assaltantes fizeram vários disparos. Ainda na saída da cidade, parte dos reféns foi liberada. Pelo menos outras 6 foram levadas como garantia da fuga. Numa ação rápida a polícia conseguiu bloquear a rodovia com um caminhão tipo caçamba, forçando os ladrões a retornar. Os bandidos acabaram entrando em um travessão. Ao entrar em uma fazenda durante a fuga, o carro em que estavam acabou colidindo em uma cerca, onde foi abandonado.

A falta de estrutura no efetivo da polícia facilitou a fuga dos ladrões. Durante o roubo só havia dois PMs na cidade. Reforços da Polícia Militar de Brasil Novo, Uruará e Altamira foram deslocados para a região.

A caminhonete com placas de Imperatriz, Maranhão, foi abandonada na fazenda. A polícia encontrou uma escopeta calibre 12, um colete, munições roubadas dos vigilantes do banco, munições de fuzil 762 e de uma pistola ponto 40. No interior do carro havia alimentos, sapatos e roupas. Até ontem à noite não havia ninguém preso.
 (Diário do Pará).