quinta-feira, 5 de julho de 2012

AGRICULTORES FAMILIARES DE BRASIL NOVO DUPLICAM A PRODUÇÃO DE HORTIFUTRIS


Os setenta agricultores familiares que integram a Associação de Produtores Rurais da Comunidade Carlos Pena Filho (Aprucapef), localizada no município de Brasil Novo, à margem da BR-230, conhecida como rodovia Transamazônica, comemoram o aumento da produtividade da lavoura. A associação encerra a safra 2011-2012, no final do mês de julho, com uma produção maior que 300 toneladas de hortifruti.

O manejo adequado das culturas e as tecnologias empregadas nas lavouras de banana, mamão, maracujá, cacau, abacaxi e também das hortaliças, desenvolvidas pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), garantem o sucesso da produção, que dobrou em relação à última safra (2010-2011), quando a associação colheu pouco mais de 160 toneladas de hortifrutis.

In natura ou em forma de polpa, toda a produção já tem destino certo. Por meio de um projeto desenvolvido pela Emater, 80% das hortaliças e frutas estão sendo comercializadas com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), por meio do Programa Nacional de Apoio a Merenda Escolar (PNAE) e do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), este último na modalidade doação simultânea, que contempla instituições sociais como a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE).

O escoamento da produção, que representava outro entrave para a associação, também foi garantido através da doação de uma caminhonete feita pela Emater, diminuindo os custos com transporte em pelo menos 50%. A Aprucapef é a única associação na região habilitada para a comercialização com a Conab. “Hoje temos certeza de que tudo o que produzimos será vendido; antes do auxílio da Emater, muitas vezes a nossa produção se estragava no campo, porque não tínhamos noção de que podíamos acessar políticas públicas e comercializar nossos produtos”, explicou João Silva, secretário da Aprucapef.

Orientados pela Emater, os agricultores estão migrando do processo de produção tradicional para a produção nos moldes agroecológicos, que utiliza insumos naturais na lavoura, promovendo a sustentabilidade. A utilização da adubação orgânica na lavoura gerou uma economia de pelo menos 30% aos agricultores. “A comercialização se dá o ano inteiro por conta do ciclo das culturas, o que tem garantido, em média, um salário mensal de dois mil reais por família. Nossa intenção é expandir o projeto e inserir novos agricultores”, acrescentou Almir Uchôa, médico veterinário da Emater.
Por: Emater

Nenhum comentário:

Postar um comentário