sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

PRESO ACUSADO DE SEQUESTRAR PECUARISTA EM SENADOR JOSÉ PORFÍRIO.

Vanilso Cardoso

Está preso, em Senador José Porfírio, sudoeste do Pará, Vanilso Cardoso Pimentel, acusado dos crimes de sequestro e formação de quadrilha. A prisão do acusado foi realizada no dia de ontem pela equipe da Polícia Civil local sob comando do delegado Vinicius Sousa Dias durante a operação denominada "C4". No último dia 28 de novembro, por volta de 23:00 horas, ele participou, juntamente com outros três comparsas, de um esquema para sequestrar o pecuarista Romualdo Nunes. A vítima foi retirada de sua residência, em Senador José Porfírio, pela quadrilha armada.
Os sequestradores aproveitaram ocasião em que a cidade estava sem energia elétrica para cometer o crime. O preso é ex-funcionário do pai da vítima, que também é pecuarista e mora em Altamira. Para sequestrá-lo, um dos bandidos chegou à residência dele chamando-o pelo nome. Ao abrir a porta da casa, a vítima foi rendida por outro homem armado. Em seguida, um terceiro homem apareceu. Os três colocaram a vítima no próprio carro e seguiram em direção ao município de Altamira. Durante o trajeto, outro carro acompanhou o percurso no apoio ao  bando. Nesse veículo, conforme as investigações, estava Vanilso. 
Os criminosos mantiveram o pecuarista em cárcere privado e passaram a exigir dele a quantia de R$ 500 mil, alegando que o pai havia adquirido o valor, no dia anterior, como resultado de um negócio. Depois de chegarem a Altamira, os bandidos foram à casa do pai da vítima, também pecuarista, onde renderam toda a família. Enquanto estavam na casa dele, os sequestradores reviraram os cômodos da residência, abriram o cofre, levaram joias e pertences pessoais, deixando as vítimas trancadas em um banheiro. Os bandidos saíram em fuga, levando os objetos roubados e abandonaram o veículo da vítima em uma rodovia na saída da cidade.
O inquérito foi aberto pelo delegado da Delegacia de Senador José Porfírio, Vinícius Sousa Dias, que aprofundou as investigações até localizar e apreender um veículo que teria sido usado no sequestro. Ainda, durante a apuração dos fatos, foram ouvidas várias testemunhas que auxiliaram na identificação do acusado. Vanilso trabalhou para o pai de Romualdo, como operador de máquinas pesadas. Com base nas provas, o delegado representou pela prisão temporária, pelo prazo de 30 dias, cujo mandado foi concedido pelo juiz da Comarca. Ainda, de acordo com o delegado, informações repassadas por pessoas da comunidade foram fundamentais para a elucidação do crime, identificação e prisão do envolvido. As investigações prosseguem para se localizar outros envolvidos no ação criminosa.

Por: PC/PA

Nenhum comentário:

Postar um comentário