segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

LIDERANÇAS INDÍGENAS BLOQUEIAM ACESSO A CANTEIRO DE BELO MONTE


Cerca de 20 índios da tribo Juruna reclamam da qualidade da água.
Atividades no sítio Pimental foram paralisadas durante o dia
Cerca de 20 índios bloqueiam o acesso ao sítio Pimental nesta segunda-feira, 7 (Foto: Felipe Adam / arquivo pessoal)Cerca de 20 índios bloqueiam o acesso ao sítio Pimental nesta segunda-feira, 7 (Foto: Felipe Adam / arquivo pessoal)Cerca de 20 lideranças indígenas da tribo Juruna bloqueiam nesta segunda-feira (7) o acesso ao sítio Pimental, um dos canteiros de obras da Usina Hidrelétrica Belo Monte, que está sendo construída no rio Xingu, no sudoeste do Pará. O bloqueio foi feito no local conhecido como Travessão 27, a aproximadamente 4km da portaria de acesso do canteiro de obras. Com o protesto, operários do Consórcio Construtor de Belo Monte (CCBM) não puderam trabalhar no empreendimento desde as 6h30 desta segunda.Segundo os índios, as aldeias estão sendo prejudicadas pela execução da obra, já que a água do rio Xingu estaria ficando suja graças ao trabalho nos canteiros, deixando as tribos sem água limpa para beber e prejudicando a pesca, que é a principal atividade das comunidades afetadas pela obra.
De acordo com o CCBM, os índios não ocuparam áreas do consórcio construtor e, além do prejuízo pelo dia de trabalho perdido, não houve qualquer tipo de dano à propriedade.
Em nota, a Norte Energia S.A., empresa responsável pela construção e operação da Usina Hidrelétrica Belo Monte, informou que todas as demandas de comunidades indígenas próximas à Usina Belo Monte estão em andamento, conforme os acordos fechados em reuniões anteriores entre a empresa e as lideranças indígenas.
Segundo a empresa, algumas demandas acordadas entre as partes são mais complexas, envolvendo obras como, por exemplo, poços artesianos e pistas para pouso de aeronaves.
Ainda de acordo com a nota, a diretoria da empresa está com reunião marcada para amanhã, às 14 horas, para dialogar sobre os pontos levantados.
Fonte: G1 Pará.
f

Nenhum comentário:

Postar um comentário