quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

BRASIL NOVO: ESCOLA DA CIDADE ALTA INAUGURADA EM ABRIL DE 2012 PELA GESTÃO ANTERIOR, CAUSA RISCO PARA ALUNOS


Inauguração/ Foto: Izaías Braga 
Os trabalhos de reforma e ampliação da Escola Municipal de Ensino Fundamental Padre Léo Schneider no Bairro Cidade Alta, obras que fizeram parte do Programa de Recomposição e Adequação da Infraestrutura e Serviços de Educação, previstos no Plano Básico Ambiental (PBA) elaborado em virtude do empreendimento de Belo Monte, foi inaugurada no dia 15 de abril de 2012 com discursos demagogos ao entregar à comunidade uma obra inacabada.
instalações de água(cano) e energia
(Mangueira preta) juntos 


Com muita festa, o povo recebeu a reforma e ampliação da escola como sendo as primeiras obras concluídas na época pela Norte Energia com os serviços de engenharia concluídos antes dos prazos previstos pelo cronograma que estava inicialmente definido para dezembro daquele ano. O que o povo não sabia era que muitas coisas ainda estavam por serem feitas e com a pressa para inauguração pelo governo, foram realizadas na base da “gambiarra”.
Caixa Padrão há menos de 0,80m
Tudo seria muito bom, se as instalações elétricas não tivessem sido todas feitas fora das normas. Durante esta semana, devido às instalações mal feitas (a rede elétrica foi instalada junto a rede hidráulica como pode ser visto nas fotos), a rede elétrica da Escola sofreu um “curto” danificando lâmpadas das salas de aula. As centrais de ar não funcionam – “Para que essas centrais de ar possam funcionar de fato sem queda como está acontecendo é preciso fazer um levantamento de consumo energético, para que seja instalado um padrão adequado para o consumo. A carga oferecida hoje é menor que a exigida. E essa instalação está totalmente fora das nomas exigidas” – informou o eletricista Wanderson Silva.

O que também preocupa os professores e pais de alunos é com relação à caixa padrão da escola que está desde a inauguração no improviso, colocada há menos de 0,80m de altura e com as estruturas danificadas colocando em risco a vida dos alunos (a escola atende alunos com idade de 05 anos até a EJA).
As Serventes também reclamam da estrutura da cozinha que não atende as demandas dos serviços “Não tem nem como a gente lavar uma panela aqui na pia e o puxadinho, que serviria para esse tipo de serviço está até hoje sem terminar como vocês estão vendo aí” – disse uma das merendeiras. A direção da Escola suspendeu as aulas desta quinta-feira por causa dos problemas.
E agora José ?


Por: Valdemídio Silva
Fotos: Valdemídio Silva


 Veja mais Fotos:


Nenhum comentário:

Postar um comentário