terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

PRESO POR TENTATIVA DE HOMICÍDIO POR DÍVIDA DE R$ 2 MIL REAIS EM RURÓPOLIS



Buscas a arma do crime
Buscas a arma do crime
Buscas a arma do crime
A Polícia Civil de Rurópolis, sudoeste do Pará, tem até dez dias para concluir o inquérito instaurado para apurar uma tentativa de homicídio registrado, no final de semana, no município. O autor do crime, o paranaense Mauri Loeblein, 50 anos, conhecido como “Quati”, natural de Matelândia (PR), foi preso em flagrante, após tentar assassinar a tiros, o catarinense Valdeci Estevão, 37 anos. O delito resultou da cobrança de uma dívida financeira de R$ 2 mil. O caso é apurado pelo delegado Ariosnaldo Vital Filho, titular da Delegacia de Rurópolis.
Arma usada no crimeArma usada no crime
Outros trabalhadores que estavam no local acionaram a Polícia Militar que passou a procurar o autor dos disparos. Por sua vez, Mauri, em depoimento ao delegado, alegou que Valdeci lhe devia R$ 2 mil referente à compra de um motor de trator. Segundo versão do acusado, Valdeci estaria se esquivando de pagar a dívida, desde o final do ano passado. "Sempre que era procurado, ele (Valdeci) se desculpava que não havia recebido seu pagamento do patrão", relatou o acusado em depoimento. Segundo o pedreiro, o não recebimento do valor lhe trouxe sérios prejuízos e cobranças vindas de outros credores. Mauri alegou ainda que procurou por várias vezes a vítima em sua casa, mas não conseguia encontrá-la no local. Até que ao tomar conhecimento de que o devedor estava trabalhando em um barreiro, no bairro Bom Jardim, disse ter ido ao local, em princípio, desarmado, para cobrar o pagamento da dívida, mas, segundo o acusado, teria sido recebido por Valdeci com ameaças seguidas de agressão física com lapadas de facão.

Segundo o policial civiL o crime ocorreu no bairro Bom Jardim, em um barreira, onde a vítima trabalha. Nascido em Brusque (SC), Estevão foi alvejado com dois disparos - no braço e nas costas - de cartucheira calibre 16. A arma foi jogada no meio de um matagal por Mauri após o crime, mas, após ser preso, o acusado admitiu a tentativa de homicídio e revelou à equipe policial o local onde havia deixado a arma de fogo. Pedreiro de profissão, Mauri foi detido por uma guarnição da Polícia Militar e apresentado na Delegacia.
Depois da tentativa de homicídio, o acusado fugiu do local num caminhão em direção à região conhecida como Travessão dos Baianos, onde foi capturado pelos policiais militares. Ao ser preso, ele portava quatro cartuchos, tipo CBC, de calibre 16. A vítima, após ser baleada, foi socorrida e levada ao hospital municipal, para atendimento médico. Depois de ser liberado, Valdeci foi até a Delegacia para prestar o registro de boletim de ocorrência. Em depoimento, a vítima relatou que estava trabalhando numa propriedade particular, no bairro Bom Jardim, quando ali chegou o acusado armado com uma espingarda, com a qual passou a fazer ameaças a todas as pessoas que ali estavam, cobrando uma dívida, que, segundo a vítima, já havia sido paga. Conforme Valdeci, Mauri fez um disparo em sua direção, mas o tiro não lhe atingiu, porque se escondeu atrás de um trator. Ao correr para outro lado, Valdeci foi alvejado com o segundo tiro que acertou lhe as costas e o braço esquerdo. Com os tiros, Mauri fugiu do local.

O acusado alega ter sido lesionado com uma “cabada” de terçado na cabeça. O fato aconteceu, por volta de 11 horas da manhã, do dia 1º. Já à tarde, Mauri retornou ao local portando a espingarda com alegação de que pretendia apenas humilhar Valdeci, mas acabou atirando nele. A arma de fogo foi jogada numa lagoa no Travessão dos Baianos. No dia seguinte, pela manhã, Mauri levou os policiais até o local onde jogou a arma. Ali, após uma busca em área de mata, o investigador Hércules Araújo achou e apreendeu a espingarda. A arma do crime foi encaminhada para perícia no Centro de Perícias Científicas "Renato Chaves", no município de Santarém. Outras testemunhas já foram ouvidas e confirmaram o crime. Mauri foi autuado por tentativa de homicídio e porte ilegal de arma de fogo. O flagrante já foi comunicado ao Fórum de Rurópolis.
PC/PA

Nenhum comentário:

Postar um comentário