quarta-feira, 11 de setembro de 2013

PARÁ: POLÍCIA CIVIL APRESENTA QUADRILHA DE ASSALTANTES PRESA EM PACAJÁ


Bando presoBando presoA Polícia Civil apresentou, nesta segunda-feira, 9, a quadrilha presa, em Pacajá, sudeste do Pará, na sexta-feira passada, quando planejava assaltar uma agência bancária, na modalidade conhecida como “sapatinho”, em que a família de um funcionário do banco seria mantida como refém para forçá-lo a liberar o dinheiro no cofre. Três dos sete presos usaram nomes falsos, pois são foragidos da Justiça. Só no ano passado, 20 quadrilhas de assaltantes de banco foram presas no Pará, perfazendo 126 presos. Em 2013, até o último dia 6, 13 quadrilhas já foram presas com um total de 76 assaltantes presos. Os dados foram apresentados, em entrevista coletiva a jornalistas, na Delegacia-Geral. Os delegados João Bosco Rodrigues, diretor de Polícia Especializada (DPE), e André Costa, titular da Delegacia de Repressão a Roubos a Bancos (DRRB), e o tenente-coronel Leão Braga, do Comando de Missões Especiais (CME), da Polícia Militar, falaram sobre a atuação integradas das Polícias Civil e Militar, para prevenção e combate às ações de assaltantes de bancos no Estado.
09/09/13 - 17:28

Conforme o delegado João Bosco, as investigações identificaram quatro ações criminosas realizadas pela quadrilha na região sudeste do pará e em outros Estados brasileiros, como Maranhão e Tocantins. Dos sete presos, só dois são paraenses. Os demais são maranhenses e há um cearense, que é o líder do bando, José da Silva Viana, 39, conhecido como “Zezinho do Curral”, “Zezinho da Júlia” ou “Seu Zé”.
Viana tem envolvimemto em, pelo menos, quatro roubos a bancos no Pará. As prisões resultaram do trabalho das Polícias Civil e Militar que fazem parte do contexto de ações da operação “Repreban”, de repressão a roubos a bancos. A Polícia Civil divulgou que três dos sete presos usaram nomes falsos. Francinei Romes de Souza, na verdade, chama-se Ronaldo Elias de Souza.
Já o preso Romário Santos Silva, 25, chama-se Marco Antônio Paixão, 30, de apelido “Márcio Capeta”, que junto com o outro preso, Clebson Marques da Silva, 35 anos, responde a cinco processos criminais por assaltos a bancos, na modalidade conhecida como “vapor”, com uso de explosivos, em Davinópolis, no Maranhão. Eles fazem parte do bando comandado pelo bandido conhecido por “Super 15”, responsável por um assalto a banco a banco no Pará, na cidade de Baião, em 2012. Outro preso, Rodrigo Pereira de Souza, na verdade se chama Rogério Pereira de Souza, 28, foragido da Comarca de Altamira, sudoeste do Pará, por envolvimento em roubos.
O primo dele, Wanderson de Souza Feitosa, 22 anos, conhecido como “Nego de Uruará” ou “Caititu”, um dos presos, responde processo por homicídio em Uruará, no sudoeste do Pará. Os dois atuam como “soldados” do bando. Já o preso Jhonnilson Carvalho dos Santos, 25, de apelido “Ruan”, foi o responsável em local a casa usada como base da quadrilha, em Pacajá. Conforme o tenente-coronel Leão Braga, desdeso ano de 2011, a PM tem feito ações integradas com a Polícia Civil visando a redução das ocorrências de assaltos a bancos. “A PM atua de forma preventiva. Desde 2011, por meio do trabalho de inteligência, foi possível diminuir as ocorrências de roubos a bancos no Pará”, explica. Todos presos permanecerão recolhidos à disposição da Justiça.
Fonte: PC/PA

Nenhum comentário:

Postar um comentário