sexta-feira, 22 de novembro de 2013

BRASIL NOVO: HOSPITAL DE BRASIL NOVO VOLTA A FUNCIONAR

Secretária de saúde rebate criticas do Dr. Armando e diz que a intenção dele é prejudicar o governo

A polêmica sobre o fechamento do Hospital Natália Arraes - HNA tomou conta dos meios de comunicação e das redes sociais nos dois últimos dias. Em uma decisão tomada pelo Sócio-diretor do HNA, Dr. Armando Aragão que afirmou à imprensa que tudo isso estaria acontecendo porque os repasses feitos pelo Governo Municipal, não estavam condizente com os valores dos serviços prestados pela unidade hospitalar e que por este motivo o HNA iria fechar suas portas. A secretária Municipal de Saúde, Drª. Waldirene Arraes, disse que as informações repassadas pelo Médico não são verdadeiras e que o objetivo do Dr. Armando Aragão é apenas de prejudicar o governo da Prefeita Marina Sperotto – “Ele quer realmente é prejudicar o governo da Marina. Ele disse foi pra mim através do telefone que se faria de vítima e ele se fez, só que isso tem conseqüências.” – Afirmou a Secretária.

Ainda de acordo com Drª. Waldirene Arraes, uma funcionária do HNA havia ligado pra ela na quarta-feira (20), informando que o Dr. Armando Aragão havia ido para Altamira dizendo que voltaria com gasolina para incendiar o Hospital – “A  funcionária do HNA, me ligou dizendo que ele disse a ela que iria à Altamira e que voltaria com gasolina para colocar fogo no Hospital e que traria outra coisa, que se pressupõe que fosse uma arma, por que ele disse que se eu ou o meu marido, o Dr. Renner, aparecemos lá a coisa não iria prestar. O Dr. Renner também recebeu uma ligação de uma outra funcionária do HNA dizendo a mesma coisa. Elas nos ligaram aos prantos e ele realmente foi para Altamira deixando o Hospital sem nenhum médico. Fomos então à delegacia e registramos um boletim de ocorrência - BO. Ligamos para Belém e o Estado mandou policiamento e no momento em que a Polícia chegou lá ele negou tudo e.” – Disse ela se referindo ao fato de que o médico teria mostrado uma arma a uma funcionária do Laboratório que funciona nas dependências do HNA, que segundo ela, a funcionária também registrou BO.
Chegaram a ser publicadas nas redes sociais de que uma mulher, em trabalho de parto, não havia sido atendida pelo HNA, mas a Drª. Waldirene foi enérgica em afirmar que fatos como esse não aconteceu – “Não teve ninguém que pariu na rua, duas pacientes Pariram dentro do Hospital, porque ele não é doido de arriscar a vida de ninguém. Todas as pacientes pariram dentro do Hospital. Uma que era caso de cesariana, ele não quis fazer o parto e encaminhou-a para Altamira.” – contou a Secretária.
A secretária informou que todos os valores foram pagos ao HNA – “Antes, quando o pagamento dos serviços do HNA era pago diretamente pelo Ministério da Saúde (MS), tinham mês que recebiam R$ 114.000,00 que era o valor máximo, porque depende da produção dos serviços, e nós pagamos no mês passado R$ 127.000,00 de AIH e R$ 11.000,00 de urgência e emergência o que dá um total de R$ 138.000,00. Portanto a prefeitura entrou com uma contrapartida de R$ 23.000,00 para custear o excedente de atendimentos. Foi comentado que o Dr. Armando não havia recebido nada de salário. Se R$ 8.000,00 virou nada... ele recebeu oito mil.” – Concluiu Drª. Waldirene Arraes SMS. 
O certo é que o Hospital Natália Arraes, que é de muita importância para o município, está aberto e que continuará prestando o mesmo atendimento que vinha prestando. O Governo Municipal, tem sim cumprido com suas responsabilidades, tendo inclusive marcado uma reunião com os membros da diretoria do HNA no dia 04/11/13 às 09hs, para discutir à cerca de que o município assumira junto ao Sistema Único de Saúde – SUS a Gestão Plena do Sistema, o Dr. Armando Aragão, Sócio-diretor do HNA, não compareceu à reunião.

Por: Valdemídio Silva.

Informações: SMS

Nenhum comentário:

Postar um comentário