terça-feira, 9 de dezembro de 2014

POLÍCIA CIVIL PRENDE ACUSADO DE USAR CANIVETE PARA ESTUPRAR ADOLESCENTES EM RURÓPOLIS

A Polícia Civil prendeu em flagrante o maranhense Carlisvan Silva Pereira, 29 anos, acusado de praticar crimes sexuais contra adolescentes no município de Rurópolis, oeste paraense. A prisão teve o comando do delegado Ariosnaldo da Silva Vital Filho. O preso é apontado como autor do estupro da própria enteada de 11 anos, que vinha sendo ameaçada de morte pelo padrasto que se utilizava de um canivete para intimidá-la e impedir que a vítima contasse à mãe sobre os atos de violência. O delegado explica que uma denúncia anônima levou os policiais civis até Carlisvan, que já era investigado havia três meses, em razão de outros assédios, abusos sexuais e ameaças cometidas contra adolescentes de 12, 14 e 16 anos.Segundo os relatos, ele costumava intimidá-las com um canivete dizendo que mataria seus amigos e familiares, caso revelassem o crime à Polícia. Assim que chegou a denúncia, os investigadores Hércules Araújo e Sérgio Silva foram até o local onde estava o acusado junto com a enteada. Diante do delegado, de representantes do Conselho Tutelar e da própria mãe, a vítima narrou aos prantos os abusos sofridos. A mãe se disse surpresa com os relatos, pois não sabia sobre os abusos ocorridos dentro da sua própria casa durante sua ausência nem da pressão psicológica que a filha vinha sofrendo ao longo de um ano, período em que conviveu com o acusado.Também, durante as investigações descobriu-se que os assédios e abusos das três primeiras vítimas ocorriam num lote rural, localizado no Km 7 da estrada vicinal da Cachoeira, onde residem familiares de uma das vítimas. Uma das vitimas, sobrinha do acusado, relata que os atos de violência sexual ocorriam sempre que o acusado passava os fins de semanas e férias no local. As demais vítimas eram vizinhas de Carlisvan. Durante o interrogatório, Carlisvan Silva Pereira confessou os abusos e assédios cometidos, sob alegação de que os atos se restringiam a toques nas partes intimas das vítimas.As adolescentes foram encaminhadas a exame sexológico no Centro de Perícias Renato Chaves de Itaituba. De acordo com o delegado, as peças do flagrante delito já foram protocoladas no Fórum local para apreciação e julgamento do juiz da Comarca de Rurópolis. "Já representei pela manutenção da prisão preventiva e imediata transferência do criminoso para o presídio", explica. Carlisvan foi indiciado por crime de estupro de vulnerável e ameaça combinados com os dispositivos legais previstos na lei nº 11.340/2006 (Lei Maria da Penha), por conta do grau de parentesco com, pelo menos, duas das vítimas.

Fonte: PC/PA

Nenhum comentário:

Postar um comentário