quarta-feira, 18 de março de 2015

SUSPEITO DA MORTE DE EX-VEREADORA ESCAPA DE PRISÃO COMUM

Uma decisão do juiz Alexandre Rizzi, da comarca de Brasil Novo, no sudoeste do Pará, determinou que o empresário Acácio Lorenzoni, suspeito de ser o mandante do assassinato de Maria José Biancardi, secretária de promoção social da prefeitura de Brasil Novo e ex-vereadora, irá cumprir prisão domiciliar. Para o magistrado, o empresário não oferece risco de atrapalhar as investigações do caso.

"Ele tem 65 anos de idade, encontra-se com estado de saúde debilitado, inclusive passou mal três vezes ontem na delegacia de Altamira, precisou ser levado ao hospital para fazer exames e tomar alguns medicamentos. Nesse sentido, o juiz acatou nosso pedido e converteu a prisão em domiciliar. Por questão de segurança, não posso falar onde ele se encontra", explicou o advogado do suspeito, Fabrício Aguiar da Silva.

Acácio Lorenzoni foi preso horas depois do assassinato na própria casa, em Brasil Novo, e depois levado para a Superintendência Regional de Polícia Civil em Altamira. Agora ele irá responder o processo em casa.

O crime aconteceu no início da noite da última sexta-feira (13), na casa da mãe da vítima. Segundo a polícia, dois homens estariam em uma moto, quando um deles desceu, passou pelo portão, que estava aberto, e fez vários disparos contra a vítima. Os móveis e a parede da cozinha ainda têm marcas dos tiros.

"Eu estava sentado tomando café, ela descascando milho no momento em que chegou um indivíduo perguntou pela Mônica Biancardi. Ela se identificou que não era Mônica Biancardi, que era a irmã dela. Quando ela perguntou 'Você quer o número para ligar para o esposo dela? Ela não trabalha mais na cerâmica. Ele meteu a mão numa sacola, disparou três tiros contra ela e saiu caminhando", conta uma testemunha que preferiu não se identificar.

Antes do crime, os pistoleiros foram flagrados pelas câmeras do circuito interno de um estabelecimento e as imagens foram entregues para polícia. Nenhum deles foi preso. Até o momento, oito pessoas foram ouvidas em depoimento, a polícia trabalha na hipótese de crime de encomenda.

"Quem efetuou os disparos, ainda está sob investigação. Mas quem foi o mandante, a gente está com bastante elementos para apontar o mandante desse crime", informou o delegado Mário Sastre.

G1 PA

Nenhum comentário:

Postar um comentário