quarta-feira, 1 de abril de 2015

ESTUDO IDENTIFICA 53 ESPÉCIES DE ABELHAS NA REGIÃO DE BELO MONTE

A construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte proporcionou um dos registros mais significativos em um único estudo sobre abelhas sem ferrão, agente crucial para a manutenção da floresta amazônica. As atividades de manejo e conservação desses insetos na área dos reservatórios identificaram 53 espécies, além de 28 tipos que aguardam identificação. O total identificado corresponde a cerca de 80% das espécies sem ferrão registradas na Amazônia brasileira até 2005.

A Norte Energia, responsável pela implantação e operação de Belo Monte, coordena o trabalho de resgate das abelhas desde 2011, quando se iniciaram as obras do empreendimento. Os resgates são feitos nas áreas dos Sítios Canais, Pimental, Belo Monte, Bela Vista e Reservatórios Xingu e Intermediário. As espécies de maior frequência identificadas são aTetragona clavipes e Melipona (Michemelia) paraensis.
As abelhas são responsáveis por entre 40% e 90% da polinização das espécies silvestres de ambientes tropicais. São esses insetos que visitam frequentemente as flores das árvores de grande porte. Sua eliminação modificaria totalmente o ambiente. “A conservação de espécies resgatadas nas áreas de Belo Monte é fundamental para a manutenção do fluxo gênico das florestas remanescentes do entorno do empreendimento”, explica o professor Plácido.
Reportagem: Anderson Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário