sexta-feira, 7 de agosto de 2015

BELO MONTE DEVOLVE 190 MIL ANIMAIS SILVESTRES Á NATUREZA



As equipes de técnicos e biólogos do resgate da fauna intensificam os trabalhos nas áreas que serão ocupadas pelos reservatórios da Usina Hidrelétrica Belo Monte para garantir e conservar a biodiversidade da região do Xingu. Do começo das obras até hoje mais de 203 mil animais silvestres foram resgatados, dos quais 190 mil (93,7%) foram devolvidos ao habitat e os demais encaminhados a instituições científicas ou mantidos sob os cuidados do Centro de Estudos Ambientais (CEA) da Norte Energia, empresa responsável pelo empreendimento.  Cerca de 80% dos bichos resgatados são répteis e anfíbios.
O resgate de fauna feito pela Norte Energia está previsto no Projeto Básico Ambiental (PBA) da Usina e envolve uma equipe de 207 profissionais que trabalham diariamente para cobrir uma área de 150 quilômetros quadrados.
As equipes devolvem à natureza cerca de 40 animais por dia. “Nosso trabalho é compensador quando chegamos às áreas de soltura e colocamos os animais de volta, em segurança, em seu habitat”, comenta o biólogo Liandro da Rosa, um dos profissionais envolvidos nesse trabalho.
Engana-se quem pensa que basta soltar o animal em qualquer lugar da floresta. Antes é feito o afugentamento dos animais para que eles, naturalmente, busquem áreas distantes dos trabalhos de preparação para os reservatórios da UHE Belo Monte. Os bichos que permanecem são resgatados pelos biólogos e levados à base de resgate de fauna, no Centro de Estudos Ambientais. Lá, é feita uma avaliação veterinária para checar as condições físicas do indivíduo resgatado.
Comprovada a boa saúde do animal, ele é encaminhado às áreas de soltura, previamente estudadas, que apresentem condições adequadas à sua espécie. Os técnicos mapeiam esses lugares da floresta com ajuda de aparelhos de geolocalização para evitar a superpopulação na área ou que os animais sejam soltos em áreas que não apresentem características favoráveis a sua ecologia. O processo dura menos de 12 horas para que o animal tenha o mínimo de contato humano.
Os levantamentos realizados pela Norte Energia até junho de 2015, indicam que a maioria dos resgates é composto por répteis (46,23%), seguido de anfíbios (44,47%), mamíferos (8,80%) e aves (0,49%). O trabalho do Centro de Estudos Ambientais será feito até o enchimento dos reservatórios principal e intermediário de Belo Monte, e inclui monitoramento dessas áreas depois da formação dos mesmos.
Att,Stefany Bragança

Nenhum comentário:

Postar um comentário