terça-feira, 12 de abril de 2016

ASSALTO AO BASA DE RURÓPOLIS RENDE R$ 300 MIL AOS BANDIDOS



Polícia montou barreiras em vários pontos para prender os assaltantes
Uma Força Tarefa formada por policiais civis e militares de Belém, Santarém, Altamira e Itaituba continua empreendendo buscas a uma quadrilha que invadiu e assaltou a agência do Banco da Amazônia (Basa), por volta de 10h, de segunda-feira, 11, em Rurópolis, distante 217 quilômetros de Santarém, no oeste do Pará.
Um balanço feito por funcionários do Basa, na manhã desta terça-feira, 12, descobriu que aproximadamente R$ 300 mil foram roubados pela quadrilha de assaltantes.
Segundo testemunhas, havia muitos clientes na manhã de segunda-feira, na agência fazendo transações bancárias, quando cerca de 8 homens fortemente armados, chegaram em duas caminhonetes, anunciaram o assalto, roubaram o dinheiro e levaram três pessoas reféns, entre elas, o gerente do banco.
Várias ruas de Rurópolis foram bloqueadas no intuito de interceptar a fuga dos bandidos.
Após trocarem tiros com policiais militares, os assaltantes empreenderam fuga pela rodovia Transamazônica (BR-230), porém, ao se depararem com um cerco policial, retornaram e tomaram o rumo de Santarém pela BR-163. Durante a troca de tiros, um assaltante foi baleado e abandonou uma arma de grosso calibre. Mesmo assim, segundo a Polícia Militar, o bandido ainda conseguiu fugir.
Depois de percorrer alguns quilômetros do local do assalto, os bandidos liberaram os reféns.
Segundo o comandante do 3º Batalhão da Polícia Militar (BPM) de Santarém, tenente coronel André Carlos Oliveira, várias barreiras foram montadas na região oeste do Pará, com o intuito de fazer um cerco à quadrilha. Entre as barreiras, uma foi montada na rodovia Santarém/Curua-Una (PA-370), na Comunidade de Boa Esperança. Outra barreira foi montada na rodovia Santarém-Cuiabá (BR-163), no Município de Belterra. Uma terceira barreira foi montada na rodovia Transamazônica, no município de Itaituba.
Segundo o tenente coronel André Carlos, a Polícia Militar trabalha com a hipótese de que o grupo planeja fugir pela rodovia Transamazônica. A Polícia desconfia que parte dos integrantes da quadrilha seja da região Nordeste do Brasil e, que conta com ajuda de comparsas do Oeste paraense.
A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup) informou que equipes das polícias Militar e Civil do Programa de Repressão a Assaltos a Banco (Repreban), com o apoio de dois helicópteros do grupamento aéreo, seguem nas buscas aos criminosos, que estariam trafegando por uma estrada vicinal. A Segup acredita que nas próximas horas os integrantes da quadrilha serão presos.
Por: Manoel Cardoso

Fonte> RG 15/O Impacto

Nenhum comentário:

Postar um comentário