quarta-feira, 30 de novembro de 2016

SOBREVIVENTES RELATAM MOMENTOS DE TERROR NO AVIÃO

Dois dos seis sobreviventes da tragédia do voo da Chapecoense que iria para a Colômbia, a comissária de bordo Ximena Suárez e o comissário de bordo Erwin Turiri contaram o que aconteceu antes da queda do avião. Ximena disse as luzes do avião se apagaram repentinamente no trajeto até Medellín e que 40 ou 50 segundos depois sentiu a pancada. Ela se lembra até aí - disse o  governador de Antioquia Luíz Pérez, em entrevista à veículos de imprensa colombianos. Ao todo, 71 pessoas morreram. 
O comissário de bordo Erwin Turiri, em entrevista ao jornal boliviano La Razón, informou que seguiu os protocolos de segurança "Coloquei umas malas entre as pernas e fiquei na posição fetal, recomendada para acidentes”, disse.
O comissário também revelou ainda, que muitos passageiros se desesperaram quando perceberam que o avião começou a cair "Com a situação de pânico, muitos se levantaram dos assentos e começaram a gritar” afirmou. 
Além dele, o zagueiro Neto, o lateral Alan Ruschel, o goleiro Follmann(que teve a perna amputada), o jornalista Rafael Henzel e outra integrante da tripulação Ximena Suárez também sobreviveram a queda. 
As causas do acidente ainda serão investigadas, mas especialistas não descartam a possibilidade de falha elétrica. Também se especula a possibilidade de falta de combustível.

Luiz Perez acrescentou ainda que outros sobreviventes relataram a ele que havia sofrido pancadas na cabeça, sentiam muita dor e que não podiam mover os membros.

(DOL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário