sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

ILUMINAÇÃO DE NATAL DEVE SER SEGURA E ECONÔMICA


Acidentes e até mesmo gastos desnecessários de energia elétrica podem ser evitados com produtos de boa procedência
Iluminação de Natal deve ser segura e econômica
Com o período das festas de final de ano se aproximando, cresce a procura por enfeites e artigos luminosos para compor a decoração natalina. No entanto, o consumidor precisa tomar alguns cuidados na hora de escolher e instalar esses adornos, sobretudo os luminosos, que, em alguns casos podem representar perigo e até mesmo desperdício no consumo de energia elétrica. De acordo com especialistas no assunto, a primeira atitude para evitar qualquer transtorno é chamar um profissional habilitado para fazer a revisão das instalações elétricas internas, pois o sistema desses locais pode já estar em situação de sobrecarga.
Em relação aos enfeites, a recomendação é que artigos como cordões luminosos, mangueiras, pisca-piscas e os demais objetos decorativos devem ser de procedência e qualidade certificadas pelo selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Para as decorações internas, a orientação é que sejam comprados produtos com a etiqueta que indique resistência ao fogo. A utilização de ‘benjamins’ para interligar vários equipamentos, é outro ponto que merece muita atenção, pois o procedimento pode resultar em um significativo aumento de consumo e também em acidentes devido aos possíveis curtos-circuitos.
O executivo da área de Segurança da Celpa, Alex Fernandes, explica que quando algo envolve energia elétrica, os cuidados devem ser redobrados. “As ligações desses enfeites devem ficar longe do alcance de crianças e de ornamentações como cortinas, tapetes ou móveis de MDF. Pedimos também que não instalem os artigos decorativos próximos aos postes ou fios da rede elétrica. Dessa forma, evitamos acidentes e aproveitamos as festividades sem imprevistos. Na hora de compra é sempre bom pedir para o vendedor testar as lâmpadas pisca-piscas”, orienta o executivo.
Em ambientes externos deve-se atentar para cercas, grades ou qualquer parte metálica. Estes locais devem, impreterivelmente, ser isoladas dos fios, pois um pequeno rompimento em uma conexão poderá energiza-los e causar um grave acidente. Na hora da reutilização dos enfeites é importante conferir a integridade do condutor de energia (fio). Emendas e conexões mal feitas devem ser evitadas ao máximo, pois os fios não devem ter seu isolamento (capa protetora) rompido ou conexões e emendas com folga.
ECONOMIA -  O líder da área de eficiência energética da concessionária, Hugo Cardoso, fala sobre a melhor escolha para economizar. “Orientamos a compra de pisca-piscas com lâmpadas mais econômicas, como as de 30 W que consomem cerca de 9,9 kWh/mês em 11 horas de uso. Isso representa R$ 5,54 mensais. Logo, há uma economia de R$ 3,70 por mês e se formos levar em conta quantos jogos o cliente coloca em sua residência, esse valor pode aumentar”, diz Hugo.
Um pisca-pisca de 100 lâmpadas, com potência de 50 W, consome cerca de 16,5 kWh/mês. Caso fique ligado durante 11 horas por dia, o gasto será em torno de R$ 9,24 mensais. 
Para garantir a segurança durante as festas, confira as dicas:
- Antes de colocar as luzes natalinas, verifique se a instalação elétrica suporta o aumento de carga.
- Instalações ou manutenções elétricas devem ser feitas apenas por profissionais qualificados e materiais devidamente certificados pelos órgãos correspondentes.
- Não deixe os fios no chão, onde há circulação de pessoas, veículos e animais.
- Não é recomendado o uso de benjamins (T) ou extensões elétricas para circuitos sobrecarregados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário