segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

IDEFLOR-BIO APREENDE 350 QUILOS DE PESCADO NO TABULEIRO DO EMBAUBAL


Mais de 300 quilos de pescado e apetrechos de pesca ilegais foram apreendidos na área do Tabuleiro do Embaubal, localizdo na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Vitória de Souzel, município de Senador José Porfírio. A ação foi desenvolvida pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), em parceria com o Batalhão de Polícia Ambiental (BPA), da Polícia Militar, e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Turismo de Senador José Porfírio (Semat), nos dias 2 e 3 deste mês.
Além de constituir um trabalho rotineiro de proteção às tartarugas da Amazônia nas Unidades de Conservação, as operações de fiscalização na área também garantem o cumprimento ao período de defeso, época em que a pesca comercial fica proibida em algumas regiões, garantindo, assim, a reprodução das espécies e a manutenção da atividade da pesca sustentável.
No primeiro dia da ação, a equipe encontrou seis redes de pesca malha 35 mm, duas redes malha 40 mm, uma rede tartarugueira e uma douradeira, além de 150 quilos de peixe, às proximidades da Comunidade de Vila Nova.
No segundo dia, foram encontradas cinco redes de pesca malha 35 mm, uma rede malha 40 mm e outras quatro de malha 50 mm, na localidade de Igarapé Jarauá. Na Ilha Furupe, os agentes ambientais apreenderam uma rede de pesca malha 30 mm e uma rede malha 50 mm. Já na Ilha da Juventa, uma rede tartarugueira foi recolhiida. Além dos materiais para pesca, mais de 200 quilos de peixe das espécies Filhote, Mapará e Curimatá foram apreendidos e, como ainda estava em condição de consumo, foram doados para os moradores de Vitória de Souzel.
Proteção – O Refúgio de Vida Silvestre (Revis) Tabuleiro do Embaubal e a RDS Vitória de Souzel, de responsabilidade da Gerência da Região Administrativa do Xingu (GRX/Ideflor-bio), foram criados com objetivo central de proteger a tartaruga da Amazônia, que migra entre os meses de agosto e fevereiro pelo Rio Xingu para desovar nas praias do Tabuleiro do Embaubal.
O início do processo de postura foi constatado em setembro do ano passado, e desde então o Ideflor-bio vem reforçando, junto ao BPA e à Semat, o monitoramento da desova e eclosão dos ovos das tartarugas, nas principais ilhas no interior das UCs em que ocorre a desova da tartaruga da Amazônia, como Juncal, Piteruçu, Peteruçuí, Embaubal, Jenipaí, Carão, Ponta do Miricituba e entorno dessas áreas.
Parceria – O Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) vem atuando na área com operações de fiscalização desde setembro de 2016, o que já resultou na apreensão de 137 redes de pesca, cinco tarrafas, mais de 15 espinhéis, nove arpões de pesca artesanal, oito óculos de mergulho, duas espingardas calibre 32 (com munição), uma rabeta, um motor e cerca de 600 quilos de peixes.
Foram registrados também na Unidade da Polícia Civil de Senador José Porfírio, quatro boletins de ocorrência policial com apresentação de objetos utilizados para a prática de crime ambiental e seus responsáveis, dando início aos procedimentos legais cabíveis. Além disso, o BPA contribuiu para o resgate e soltura de cerca de 30 quelônios encontrados vivos nas redes e teve importante participação na soltura de mais de 300 mil filhotes de tartaruga da Amazônia.
De acordo com Maria Bentes, gerente da GRX, a operação de fiscalização em Senador José Porfírio permanece até o fim do período do defeso. “Com a atuação do BPA, o nosso trabalho é reforçado e as ocorrências tendem a reduzir”, contou.
Por Denise Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário